2c6833b0-77e9-4a38-a9e6-8875b1bef33d diHITT - Notícias Sou Maluca Sim!: Agosto 2012
quarta-feira, 29 de agosto de 2012 0 comentários

STRIPTEASE

O Striptease (do Inglês: “provocação ao se despir”) é um ato, que geralmente envolve dança, no qual uma pessoa se despe completamente para outra pessoa, de forma a excitá-las sexualmente.  


E qual mulher já não parou para pensar em presentear o seu parceiro com uma bela performance de Striptease.
E quer saber, eles adoram!
Essa é uma excelente oportunidade para trabalharmos a nossa sexualidade, feminilidade, até mesmo a autoconfiança. 
Que muitas vezes acaba se perdendo na correria do dia a dia.

Em outras palavras: para deixar o seu parceiro ainda mais caidinho de amores por você, abuse do poder que está em suas mãos, faça um Strip. Mostre para o seu gatinho que você também sabe mandar muito bem quando quer!

Escolhi como primeiro passo para um bom Striptease o repertório das músicas.
E quase me pedir. As opções são tantas que daria para fazer ao menos um Strip para cada dia do ano.Lembrando que a escolha do repertório musical vai de acordo com os gostos e necessidades de cada um. A quem se sinta muito excitado com funk, outros com Michel Teló e no final ainda diz animadíssimo;

CHUPA QUE É DE UVA!

De qualquer forma, a ideia do Strip, além de esbanjar sexualidade é de ser divertido. Então, escolha a música que mais agradar você e seu parceiro. O que importa é as pessoas envolvidas estarem à vontade. 

Mulherada sem qualquer vergonha vamos mexer os quadris.
Seduza!

Bem, depois de muito pesquisar e ouvir opiniões de alguns amigos as 5 + do Strip são:

1-Eurythmics - Sweet Dreams (Essa é uma clássica e foi usada no filme Streptease com Demi Moore)
2-Joe Cocker - You can leave you hat on (essa foi usada no filme 9 semanas e 1/2 de amor,delicia! Dá para brincar de mensagem subliminar, afinal o que o casal do filme ficou fazendo o filme todo?)
3-Justify My Love-Madonna (Adooro, basta dizer que é da Madonna)
4-Maria Maria lyrics by Carlos santana
5- Nasty Naughty Boy by Christina Aguilera (abuse do espartilho, quem sabe uma piteira e batom vermelho. Obs: batom vermelho somente se o parceiro não for casado)


Outras dicas:

1-The Pussycat Dolls - Buttons[remix] (para os mais moderninhos)
2-Dee Joy - Trust Me (para os mais românticos, o estilo amorzinho gostoso!)
3-Is This Real-Lisa Hal
4- Feeling love-Paula Cole
5- LuGuessa feat (Essa foi indicação dos meus amigos gays vou contar com o fato que disso eles entendem)
4-Falco - Rock me Amadeus (Uma das mais usadas pelos streps de boat, o público GLS costuma se agradar)
5-Rhythm is a dancer (Outra classica)
6-Marvin Gaye - Let's Get It On (clássica, adooro! Indicação das minhas amigas lésbicas)
7-Gold digger Jamie Fox (para mexer bem os quadris)
8-Mr Boombastic Shaggy (para mexer os quadris)
9-Lolli pop Lill Wayne - (para os Mordeninhos)
10-Chris Isaak Wicked Game- (Para os românticos e extremamente sedutres.Para mim essa música sendo usada em um strep tease diz: eu não estou com pressa nas preliminares. Aconselhou acompanhar com um vinhozinho!)
11-I Just Wanna Make Love To You - Etta James (Para as mais desinibidas, no estilo Marilyn Monroe. Abuse do espartilho, cinta liga...)
12-Jimi Hendrix - Red House (Se o seu namorado faz o estilo intelectual)
13-George Michael - Careless Whisper(para os romanticos. (Acho o baixinho George Michael um tesão, a pesar dele ser assumidamente gay e ter vindo ao mundo em pacote econômico, agora se o strep vai ficar bom é com você!)
14-Kylie Minogue - 2 Hearts

Selecionada a música, agora é preparar a melhor lingerie e começar a ensaiar uns passinhos, caras e bocas frente ao espelho.

Quem tiver outras sugestões envie aqui pelo blog, site, chat ou Email. Continuarei a falar sobre Streptease em futuras  postagens.

terça-feira, 28 de agosto de 2012 1 comentários

Virei marmita. E agora?

Não criei esse texto. È um desses que estão rolando pela rede, mas achei muito criativo e por isso tomo a liberdade de compartilha-lo com vocês. Pretendo fazer uma intertextualidade em uma próxima postagem


Você gasta uma porção razoável do seu batalhando salário mensal com aquela chatice de



depilação, lingerie de renda que pinica e entra no meio da bunda, óleo corporal, academia e o caralho a quatro. A gente bem sabe – na verdade, estamos carecas de

saber – que a esmagadora maioria dos homens nem se importa tanto assim com todos esses detalhes. Mas se cuidar faz bem e, acima de tudo, você acredita que ele é diferente. Ou melhor, quer acreditar que com ele há de ser diferente. Então, continua gastando dinheiro, tempo e energia, afinal, ele vai notar. O cheiro, o tato, o visual: alguma coisa há de chamar-lhe a atenção.

Vocês marcam de sair, e as suas expectativas ficam a milhão. Tomam um vinho, comem uma porção, conversam sobre Polanski e, enfim, ele a chama para a chincha. Vocês transam loucamente e dormem juntos, no melhor estilo casal apaixonado. De manhã, ele a leva para casa, depois de tomarem um café da manhã reforçado, e diz que vai ligar na semana.

Tudo teria sido incrivelmente lindo se essa não fosse a décima segunda vez que isso acontece sem nenhuma mudança no script – o máximo que muda é que o vinho vira cerveja e que Polanski vira Almodóvar. De resto, é sempre o mesmo samba com os mesmos arpejos. E aí, depois de sucessivas vezes de transa casual, você para em frente ao espelho e pensa: “Virei marmita. E agora?”. A primeira sensação não será das mais confortáveis. Baterá um leve pânico, eu sei. Você se sentirá usada, eu sei. Seus planos de casar e ter uma penca de filhos cairão por água abaixo, eu sei. Mas a verdade, minha querida, precisa ser encarada. E lidar com ela não tem segredo: no sentido mais literal da expressão, relaxa e goza, como sabiamente proferiu Marta Suplicy. Afinal, investir nessa paixão só trará frutos azedos, e muitas coisas nessa vida já lhe amarram a cara. Então, coloque na cabeça o mantra das marmitas: se ele come e volta, é porque o sabor lhe apetece. Yes, nós temos Sazón.

Para algumas mulheres, não há nada mais penoso no mundo do que ser marmita. Dói mais do que cólica menstrual, do que depilação com Satinelle, do que parir um filho de um metro e meio. Dói mais do que tudo isso junto. Afinal, soa como um certo descaso ele provar um pouco de todos os pratos, voltar quinzenalmente para se lambuzar no seu mel e ainda fazê-la lavar a louça. Pior do que isso só ser marmita delivery, aquela que é entregue diretamente na cama, que não exige que ele se levante do calor dos cobertores nem para buscar garfo e faca. Mas a escola da vida ensina que é tudo uma questão de perspectiva: se observada de outros ângulos, essa brincadeira pode ser deveras interessante. Conheço porções de mulheres que consideram que ser marmita tem lá suas vantagens. E eu sou uma delas.

Como tudo na vida, fazer o papel de buffet de self service tem ônus e bônus. Invariavelmente falta um ombro para descansar no domingo à tarde, uma companhia para andar de mãos dadas na cidade ao anoitecer, um chamego nas festas de família – enfim, falta um homem para chamar de seu. Afinal, o comedor de marmita não está disposto a assumir relacionamento, não quer ser apresentado aos seus pais e muito menos arcar com as consequências emocionais de um relacionamento.


E é justamente aí que entra a parte boa. Dizem os sábios que toda afirmação traz os germes de sua negação. Então, aproveite a vida de marmita. Não dê satisfação para ninguém e não se sinta culpada. Mais do que isso, seja marmita ativa. Saia à caça, antes que a comida esfrie, que a carne endureça e que a alface fique assada. Ponha bastante Sazón na mistura, arie a panela, enfeite-se com uma folhinha de manjericão. Conquiste um, dois, três marmitos. Leve-os até a sua mesa e faça dessa vida um banquete.


Coma com os olhos, com a boca e com o coração. Coma-os de colher, raspe o prato, lamba os beiços. Afinal, marmita tá aí pra isso.

E como já dizia vovó, jogar comida fora é pecado!
segunda-feira, 27 de agosto de 2012 0 comentários

Blaise Pascal (1623 - 1662)



Sentenças:

- É mais fácil suportar a morte sem pensar nela.

- Rir da filosofia é o verdadeiro filosofar.

- É melhor saber um pouco de tudo do que tudo de um pouco.

- Boas palavras escondem um mau caráter.

- A nossa natureza é o movimento; o completo repouso é a morte.

- Nós não buscamos as coisas, mas a busca das coisas.

- Quem se aflige por pouco, se consola com pouco.

- A diversão nos consola das nossas misérias.

- Como não sei de onde venho, não sei para onde vou.

- O silêncio dos espaços infinitos me apavora.

- É incompreensível que Deus exista e também incompreensível que não exista.

- O coração tem razões que a razão desconhece.

- A justiça sem a força é impotente, a força sem justiça é tirania.

- Não é certo que tudo seja incerto.

- Só entendemos as profecias quando elas acontecem.

- O amor não tem idade, está sempre nascendo.

- O homem está disposto a negar o que não entende.

- As ilusões sustentam o homem como as asas sustentam o pássaro.

- O universo é uma esfera cujo centro está em todas as partes e a circunferência em nenhuma.

- Os extremos se tocam.

- Tudo é grande na alma grande.

- Eu só posso aprovar os que procuram gemendo.

A razão não é suficiente a si mesma, ela tem limites, e Pascal reconhece esses limites. Estabelece que a ética, a vida social e a religião é que definem o mundo humano real e esse mundo real em grande parte foge das possibilidades da razão.

Mas mesmo no mundo natural a razão é limitada, pois os segredos da natureza estão encobertos na experiência que constantemente aumenta em quantidade, intensidade e valor. Uma hipótese que busca explicar um acontecimento na natureza pode ser validada, negada ou permanecer duvidosa, e a experiência permanecendo duvidosa demonstra claramente que a razão tem seus limites. A razão também demonstra ser limitada quando busca definir as noções fundamentais de uma área do conhecimento pois ela não consegue definir os princípios últimos da própria razão.

Pascal demonstrou grande preocupação com as questões teológicas de sua época, defendia que as ações humanas não são suficientes para a salvação dos indivíduos, para que as pessoas se salvem é necessária a interferência, o auxílio de Deus, a salvação dessa forma se torna mais difícil e não é o resultado direto das ações humanas. São nas nossas ações que vão aparecer o livre arbítrio e no livre arbítrio aparece a ação de Deus pois foi ele que nos concedeu a liberdade de escolher nossos atos.

É também teológica a preocupação de Pascal quando define que as verdades estabelecidas pelos filósofos e teólogos antigos deve ter o mesmo valor das novas teorias, o que é necessário ser feito é a diferenciação de que em determinadas áreas os pensamentos antigos tem supremacia, mas em outras devemos levar em conta os argumentos contemporâneos. Em teologia o peso dos escritos antigos é definitivo para se descobrir a verdade, e a razão não tem muito a dizer sobre eles, ou seja, os fundamentos da fé estão acima da natureza e da razão. Mas sobre a interpretação e a capacidade de conhecimento das experiências naturais, é a razão que tem a supremacia. É dessa forma que a inteligência e o conhecimento humano tem a capacidade de se ampliar sem interrupções.

O conhecimento científico é independente dos conhecimentos da fé que são imutáveis, a fé nos faz dizer creio, e a ciência, sei. O conhecimento científico para ter credibilidade tem que estar baseado em um método, mas nenhum método é capaz de nos dar uma verdade científica completa.

Pascal acreditava que uma das prioridades do nosso pensamento é pensar a nós próprios e não somente as coisas exteriores a nós. A tarefa principal do homem é conhecer a si mesmo, mas para cumprir esse empreendimento a razão não nos pode ajudar muito, pois ela é fraca, desnecessária e imprecisa e cai constantemente na fantasia, no sentimentalismo e no hábito. Para conhecer-nos o melhor caminho é o do coração.

Nós fazemos parte da natureza e nos localizamos entre dois infinitos dela, o infinitamente pequeno e o infinitamente grande e somos incapazes de entender ambos. Somos ainda impossibilitados de entender o nada de onde viemos e entender o infinito onde estamos imersos. Nós somos alguma coisa, mas não tudo. Nós conhecemos algumas coisas, mas nunca conheceremos tudo, pois os nossos sentidos não percebem as coisas extremas. Nós estamos situados entre o ser e o nada.

Além de limitados somos também impotentes diante das misérias humanas como a morte e a ignorância, para fugir dessas impotências muitos escolhem o não pensar e o não pensar para Pascal é o divertimento. Divertir-se é uma forma de distrair-se com ocupações que nos distanciam das misérias que vivemos. Quando não tivermos nada para fazer sentiremos as nossas misérias, o divertimento é o fazer algo que vai distanciar nossa alma do vazio e do tédio. A diversão é uma fuga de nós mesmos.

Mas mesmo limitados somos os únicos seres pensantes da natureza. Somos também um dos seres mais fracos da natureza, mas somos fracos pensantes e é no pensamento que está nossa dignidade, nossa nobreza e superioridade frente à natureza. Nós somos miseráveis e mortais, mas sabermos que somos miseráveis e mortais e nisso está nossa grandeza.

No estudo da linguagem, Vico acredita que o modo de falar popular testemunha com mais veracidade os costumes de um povo. Os sistemas de comunicação que perduram em uma determinada língua são a expressão mais fiel da vida dessas pessoas, razão pela qual não é possível entender uma sem compreender a outra.



domingo, 26 de agosto de 2012 0 comentários

Coisas Para NÃO Fazer Ao Beijar

15 coisas para NÃO fazer ao beijar

1. Não se apresse: deixe que o momento chegue. Quando um beijo não tem espontaneidade, pode ser que os dois fiquem pouco à vontade e o resultado seja um desastre.

2. Analise a outra pessoa: não comece a mexer a boca loucamente nos primeiros segundos. Faça movimentos suaves enquanto você descobre o estilo da outra pessoa.

3. Não force: os beijos nem sempre são apaixonados. Comece com calma e cuidado, para não assustar quem está te beijando.

4. Manere nas explorações: se a sua língua se move muito rápido, nem você e nem a outra pessoa vão desfrutar do beijo.

5. Controle a saliva: beijo molhado demais é péssimo. Controle direito o beijo e saiba a hora de parar um pouco... afinal, ninguém quer morrer afogado ao beijar, né?


6. Não se faça de morto: não deixe que a outra pessoa faça tudo também. É excelente ter iniciativa, claro que com bastante atenção aos desejos da outra pessoa.

7. Nada de beijos depois de comer: se for o caso, tenha sempre chicletes no bolso, pois não é nada agradável dar beijos com sabor de carne ou, pior, de cebola.

8. Deixe a cabeça quieta: não fique se mexendo demais. Você pode acabar "enjoando" ou acabar dando um baita golpe nos dentes da outra pessoa.

9. Nada de desânimo!: se os primeiros beijos não são muito bons, com a prática você vai melhorar.

10. Feche a boca!: não abra muito a boca. Os lábios dos dois devem estar juntos para não dar a sensação de se estar devorando a boca da outra pessoa.

11. Não ao aspirador!: os beijos estilo "aspirador de pó" são bastante desagradáveis e podem chegar a doer. Cuidado...

12. Atenção aos seus lábios: eles devem estar sempre úmidos e sem rachaduras... quanto mais suaves estiverem, melhores serão os beijos.

13. Meninas, nada de batons cremosos: a maioria dos homens detesta ficar com "cremes estranhos" na boca... e, pior ainda, marcas de batom.

14. Olha o bom senso!: nada de beijos super apaixonados em locais públicos... é de mal gosto.

15. Não mostre a língua: no começo do beijo, não coloque a língua pra fora da boca antes que os lábios tenham se tocado. A não ser que você queira deixá-la à mostra, pra todo mundo ver...
sábado, 25 de agosto de 2012 0 comentários

Brigadeiro




A história e como foi inventado o mais famoso e apreciado docinho de festa.

O Brigadeiro foi inventado no Brasil depois da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Naquele tempo, era muito difícil conseguir leite fresco e açúcar para se fazer receitas de doces. Aí, descobriram que a mistura de leite condensado e chocolate resultava em um docinho bem gostoso (Brigadeiro para presidente).

Ainda faltava dar um nome para o novo doce.

Na mesma época, aconteciam as eleições para presidente do Brasil, e um dos candidatos era o Brigadeiro Eduardo Gomes. Na campanha, ele utilizava uma propaganda engraçada, que ficou na boca do povo: “Vote no Brigadeiro que é bonito e solteiro”. Suas eleitoras batizaram o doce em homenagem ao candidato.

As mulheres que trabalhavam na campanha, em vez do “santinho” tradicional do candidato, distribuíam o docinho para ganhar votos.

Com o tempo, o brigadeiro foi ficando cada vez melhor. Para enfeitá-lo e deixá-lo mais saboroso, foi inventado o chocolate granulado.

Depois, outra receitas foram criadas a partir da original.

Em outros países nosso brigadeiro é conhecido como “trufa brasileira”.

Ingredientes

1 lata de leite condensado

1 colher de sopa de margarina sem sal

7 colheres de sopa de Nescau ou 4 colheres de sopa de chocolate em pó

chocolate granulado para fazer bolinhas

Modo de Preparo

Coloque em uma panela funda o leite condensado, a margarina e o chocolate em pó

Cozinhe em fogo médio e mexa sem parar com uma colher de pau

Cozinhe até que o brigadeiro comece a desgrudar da panela

Deixe esfriar bem, então unte as mãos com margarina, faça as bolinhas e envolva-as em chocolate granulado

As forminhas você encontra em qualquer supermercado

Informações Adicionais


Você pode usar também como cobertura de bolos.

O brigadeiro é doce brasileiro, criado na década de 1940 em homenagem ao Brigadeiro Eduardo Gomes, candidato à presidência da república.

Foram feitas festas para promover a candidatura, onde foram servidos os docinhos do Brigadeiro.

Assim foi adotado o nome brigadeiro para o docinho.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012 0 comentários

Sapo na Panela


Apesar de muita gente está reclamando da pressão, alguns aproveitam o susto para acordar, para mudar o rumo de sua vida e criar o sucesso. Algo parecido com a famosa experiência do sapo na panela.

Quando se coloca um sapo em uma panela alta com água fria ele fica curtindo a água, sem preocupações. no entanto no momento em que o pesquisador começa a esquentar a água, o sapo se pões a lutar para sair. A água ferve, e o sapo ainda tenta desesperadamente encontra um jeito de escapar, mas já é tarde.

Porém,quando o sapo é jogado diretamente na água fervente, a dor imediata faz com que ele reúna forças para dá um salto e encontrar a saída

“Só resolvemos os problemas quando somos maiores do que eles. Se os problemas estão aumentando, temos de ser maiores ainda!”

terça-feira, 21 de agosto de 2012 1 comentários

Sigmund Freud e sua sabedoria


Sigismund Schlomo Freud, mais conhecido por Sigmund Freud
(6 de maio de 1856 - 23 de setembro de 1939),
nasceu em Freiberg, na Áustria.
Foi neurologista e fundador da Psicanálise.


1 - Somos feitos de carne mais temos que viver como se fossemos de ferro.

2 - A ciência moderna ainda não produziu um medicamento tranquilizador tão eficaz como o são umas poucas palavras boas.

3- Às vezes um pepino, é somente um pepino.

4- Não existe uma regra de ouro que se aplique a todos: todo homem tem de descobrir por si mesmo de que modo especifico pode ser salvo.

5 - Não somos apenas o que pensamos ser. Somos mais; somos também, o que lembramos e aquilo de que nos esquecemos; somos as palavras que trocamos, os enganos que cometemos, os impulsos a que cedemos...“sem querer“.

6 - Quando a dor de não estar vivendo for maior que o medo da mudança, a pessoa muda.

7 - Todo prazer é erótico.

8 - Devemos começar a amar a fim de não adoecermos e estamos destinados a cair doentes se, em conseqüência de frustrações, formos incapazes de amar.

9 - Não se cogita a repressão total das tendências
segunda-feira, 20 de agosto de 2012 0 comentários

Regina Duarte-50 anos de carreira

A partir do

agosto 2012 o centro cultural correios está apresentando gratuitamente as seguintes exposições:

Exposição

Gil 70 – 70 anos de vida e 50 anos de vida artística

Em um dos depoimentos que concedeu às vésperas de seu septuagésimo aniversário – dia 26 de


junho passado – Gilberto Gil declarou que era metade gente e metade ente. Subtraindo-se os dois termos, tem-se a letra g: representação gráfica de um "radar", símbolo perfeito para essa que é uma das mais dinâmicas e abrangentes personalidades criativas nascidas no Brasil durante o Estado Novo de Getúlio.

A exposição "GIL70", concebida e organizada pelo poeta e designer gráfico André Vallias (1963) com a colaboração do pesquisador e ensaísta Frederico Coelho (1974), reúne obras dos mais variados gêneros, realizadas por criadores de quatro gerações, para celebrar, no espírito heterogêneo e livre das revistas marginais dos anos 70, os 70 anos de Gilberto Gil.

São ao todo 21 trabalhos, entre pintura, grafite, vídeo, fotografia, escultura, poesia visual e instalação interativa – inspirados em canções de Gil ou dedicados a ele - e entremeados por 24 displays interativos que dão acesso ao áudio, letra e comentários de 70 de suas mais emblemáticas composições. A ante-sala da exposição foi reservada para a montagem de uma sinuosa linha do tempo, ilustrada com imagens, vídeos e sons, e acompanhada de quatro totens multimídia – com excertos de filmes e depoimentos.

Participam da exposição 25 artistas, poetas, videomakers, músicos, cineastas, programadores e designers: Carlos Adriano, Ricardo Aleixo, Arnaldo Antunes, Lenora de Barros, Vivian Caccuri, Adriana Calcanhotto, Augusto de Campos, Ivan Cardoso, Antonio Dias, Eduardo Denne, Bené Fonteles, Lula Buarque de Hollanda, Jarbas Jácome, Gabriel Kerhart, Raul Mourão, Carlos Nader, Antonio Peticov, Gualter Pupo, Omar Salomão, Daniel Scandurra, Ariane Stolfi, André Vallias, Caetano Veloso, Andrucha Waddington e Luiz Zerbini.

Gillberto Gil, que colaborou musicalmente na feitura de uma das instalações interativas, não interferiu na curadoria da exposição. Mas fez questão de manter uma antiga tradição: a de jogar o I Ching, para associar o projeto a um dos 64 hexagramas do milenar oráculo chinês. Obteve o de número 29 – k'an / o abismal: "A água flui ininterruptamente e chega à sua meta: a imagem do abismal repetido. Assim o homem superior caminha em constante virtude e exerce o magistério".

A exposição "GIL70" terá ainda um desdobramento digital – para web, tablet e smartphone – que incluirá uma antologia de textos escritos por Gilberto Gil entre manifestos, artigos, discursos e depoimentos, uma seleção com os principais trechos de suas entrevistas ao longo da carreira e uma coletânea de crônicas escritas especialmente para a ocasião por: Rita Lee, José Miguel Wisnik, Marisa Alvarez Lima, Hermano Vianna, Jerusa Pires Ferreira, Carlos Rennó, Fernanda Torres, Andre Midani, Inês Pedrosa, Arto Lindsay, Bernardo Oliveira, Francisco Bosco, Jorge Mautner, Evando Nascimento, DJ Dolores e Paquito Moura.

Serviço:

Exposição: “GIL 70”

Abertura: 28 de agosto, ás 19h (para convidados)

Visitação: 29 de agosto a 28 de outubro de 2012 – ter a dom, das 12 às 19h – GRÁTIS – Class. Livre

Local: Centro Cultural Correios (Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro) - 2253-1580

Realização: Centro Cultural Correios

Projeto patrocinado pela Petrobras, Correios e SulAmérica Seguros através da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Apoio cultural: Centro Cultural Correios

Espelho da Arte – A Atriz e seu Tempo

a exposição comemora os 50 anos de carreira da atriz Regina Duarte

A Exposição “Espelho da Arte - A Atriz e Seu Tempo” faz parte das comemorações dos 50 anos



A partir do

agosto 2012 o centro cultural correios está apresentando de carreira da atriz Regina Duarte. Sua montagem é feita em ordem cronológica e dividida por décadas. A evolução tecnológica é mostrada através de cenários que reproduzem os ambientes internos de uma casa, com elementos de época. A curadoria é do ator e artista plástico Ivan Izzo.

Essas “casas cenários” representam os lares dos brasileiros que acompanharam a trajetória da atriz e fazem uma referência lúdica aos estúdios de televisão. A exposição propõe uma reflexão antropológica sobre a influência dos personagens interpretados por Regina Duarte nas transformações sócio-culturais no Brasil e em outros países.

Uma “linha do tempo” conduz os visitantes pelos sete ambientes da exposição e relaciona os principais trabalhos da atriz com os fatos históricos ocorridos no Brasil e no mundo. Com estrutura e mobiliário confeccionados em papelão, matéria prima 100% reciclável, a cenografia assinada por J. C. Serroni faz com que a Exposição incorpore fortemente a defesa do valor e a importância da sustentabilidade.

Serviço:

Exposição: “Espelho da Arte – A Atriz e seu Tempo”

Abertura: 21 de agosto, ás 19h30 (para convidados)

Visitação: 22 de agosto a 28 de outubro de 2012 – ter a dom, das 12 às 19h – GRÁTIS – Class. Livre

Local: Centro Cultural Correios (Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro) - 2253-1580

Patrocínio: Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro.

Apoio Institucional: Ministério da Cultura,TV Globo, TV Cultura, Correios, Grupo Orsa e Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo.

Curadoria: Ivan Izzo

Fluxos e Relevos” - Guillaine Querrien

Paisagens marinhas e montanhas são a temática explorada pela artista plástica francesa Guillaine


Querrien. Foi entre a exuberância de Búzios (destino certo no seu roteiro de viagens) e a beleza da mata que avista de sua janela, no bairro do Jardim Botânico - onde mantém moradia há 25 anos - que Guillaine buscou inspiração para as 14 telas a óleo e nove pastéis sobre papel.

“Sempre me questiono sobre o que me emociona tanto numa paisagem! E acabo voltando para duas ideias recorrentes: tempo e movimento. Uma impressão de total imobilidade, na realidade, uma transformação em processo que vai se iluminando de amarelo, vermelho, preto... O que está aqui retratado, na verdade, são mudanças velozes, tão velozes, que suspendem meu fôlego”, afirma Guillaine.

Em seu processo de criação, a artista trabalha, em primeiro lugar, o fundo sedoso: cinza, a cor que integra céu, terra, minerais. Surgem linhas, ritmo vertical, ascendente, verde, amarelo, marrom. Mais coloridos, os vegetais vão ocupando aos poucos o espaço. Manchas luminosas amarelas, difusas, concretizam as arborescências e os vários planos. O olhar segue os entrelaces sempre direcionados para os cumes. Os limites desses conjuntos diferenciados se confundem, se rejeitam, se unem, se sobrepõem.

“Pintando vou brincando com a multiplicidade das cores, com o pincel prazeroso acariciando a tela, vou procurando a profunda sensualidade daquelas paisagens, as dimensões, a oposição de matérias, as várias intensidades luminosas. Mergulho no espaço pictural, conjunto de sinais e rastros”, resume a artista.

Serviço:

Exposição: “Fluxos e Relevos”

Abertura: 22 de agosto, ás 19h (para convidados)

Visitação: 23 de agosto a 28 de outubro de 2012 – ter a dom, das 12 às 19h – GRÁTIS – class. livre

Local: Centro Cultural Correios (Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro) - 2253-1580

Apoio Cultural: Centro Cultural Correios

Curadoria:

Dança

Correios em Movimento

Dança Contemporânea no Centro Cultural Correios

De 23 a 26 de agosto acontece, no Centro Cultural Correios do Rio de Janeiro, a mostra de dança


contemporânea “Correios em Movimento” com a participação de companhias brasileiras e estrangeiras. Entre as atrações do Brasil, estão os bailarinos do Afroreggae, do Grupo Tápias, além de Maria Alice Poppe, Bruno Duarte e Ricardo Ambrósio. Entre os grupos do internacionais, companhias da Espanha, Nigéria, França e Itália. A curadoria e a direção geral são de Giselle Tápias.

Sempre com o objetivo de incentivar a troca de experiências entre as companhias convidadas, estimulando a aproximação de diferentes visões e estéticas e agregando valores fundamentais para o desenvolvimento da dança, a edição deste ano promete ao público, diretores, coreógrafos e artistas uma expressiva vitrine do que há de novo na dança contemporânea nacional e internacional

O projeto “Correios em Movimento”, que prestigia a diversidade estética da dança contemporânea, voltado para a criação de solos, duos e trios, promove este ano um intercâmbio de linguagens da dança contemporânea, destacando o Hip Hop, o teatro, a percursão, amúsica ao vivo e o circo. A realização de residências entre os artistas busca nessa permuta cultural inovações nas criações de dança contemporânea. A residência antecede à realização do projeto e o resultado deste encontro de artistas é apresentado em espetáculo, performance, ensaio aberto ou conferência.

Programação:

Dia 23 de agosto, às 19h:(Estréia para convidados)

- My exile is in my head - YK Projects / Qudus ONIKEKU, Lagos, Nigeria / França

- Delta Víctor - La Intrusa Danza- Damian Muñoz e Virginia Garcias - Espanha

- Too Much - Grupo Tápias - Brasil

- 3 POR 3 - 904 krump movement - Bruno Duarte - Brasil

- Lançamento de Videodanças Cariocas

- Dulce Laboris Priemium

- Duas, Uma.

- Labirinto

- Estudo Para Projeção Mapeada (Instalação)

Dia 24 de agosto, às 19h

- Caprichosa voz que vem do pensamento - Maria Alice Poppe - Brasil

- My Exile Is In My Head -YK Projects / Qudus ONIKEKU, Nigéria / França

- 15h às 18h - Encontro aberto ao público(distribuição de senhas a partir das 14h30)

Dia 25 de agosto, às 19h

- Caprichosa voz que vem do pensamento -Maria Alice Poppe - Brasil

- Valse En Trois Temps - Cfb Christian And François Ben Aim - França

Dia 26 de agosto, às 19h

- Delta Víctor - La intrusa danza- damian muñoz e virginia garcias - Espanha

- Too Much - Grupo tápias - Brasil

- Amor Fati - Compagnia teatro akropolis - Itália

- Marieta - Janet Novas -Espanha

- 3 por 3 - 904 krump movement - Bruno Duarte - Brasil

Serviço:

Dança Contemporânea: “Correios em Movimento”

Período: de 23 a 26 de agosto de 2012, às 19h

Local: Centro Cultural Correios

GRÁTIS (distribuição de senhas 1h antes das apresentações)

Endereço: Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro - Rio de Janeiro-RJ

Telefones: (21) 2253-1580

0 comentários

Giambattista Vico (1668 - 1744)



Sentenças:
- A fantasia é mais forte quanto mais fraco for o raciocínio.
- O governo segue a natureza dos governantes.
- A poesia dá senso ao insensato.
- A ordem das ideias deve seguir a ordem das coisas.
- A fantasia é a memória dilatada.

Vico é um crítico da filosofia de Descartes e se diferencia dos pensadores iluministas por refletir sobre a religião e a política de forma conservadora tendo por base as teorias do passado e utilizando uma linguagem essencialmente teológica.
A história para Vico é um fluxo evolutivo de acontecimentos que nos leva a uma razão esclarecida, mas para ele existem verdades humanas que não podem ser demonstradas através das evidências racionais como as verdades da história, da poesia, da pedagogia da medicina, do direito, da política, da arte e da moral.

O método racional geométrico cartesiano não nos garante a verdade dos nossos conhecimentos sobre as coisas humanas; a razão e a geometria funcionam muito bem com os números e grandezas mas não tem a capacidade de abranger e explicar as outras matérias, especialmente as humanas. O conhecimento e o entendimento sem defeitos é uma característica de Deus, a nós humanos resta um pensar limitado que vamos reunindo conhecendo algumas características dos objetos que percebemos. 

Nós e Deus conhecemos as coisas que fazemos, como Deus criou o objeto real ele tem o real conhecimento de tudo, nós conhecemos e criamos objetos ilusórios como a matemática que podemos entender verdadeiramente pois ela é o resultado de uma operação intelectual humana. Para Deus fazer e conhecer são a mesma coisa, para os homens não.

Vico considera que Descartes errou ao acreditar que a matemática, uma criação humana, poderá entender o restante do universo que é uma criação divina. A razão é a consciência do ser, mas não o conhecimento dele. A razão humana não é a causa da existência do homem, não foi a razão que criou o meu corpo, portanto não é ela que vai entendê-lo. A razão também não é a causa da minha mente pois a nossa reflexão é um vestígio, um recurso utilizado pela mente para tentar conhecer, mas não é a totalidade da nossa mente. O pensar nos dá o conhecimento da nossa existência, mas não nos garante o conhecimento total de quem realmente somos.
Giambattista diz que os filósofos e historiadores de sua época estavam fazendo da história uma invenção, uma ilusão criada para exaltar nações ou determinados personagens históricos. A história como exaltação de fatos ou personalidade não representa os princípios fundamentais do homem e da história, que é uma criação do homem. A história tem que ter uma ligação real como o homem, caso contrário ela não se sustenta nem cria tradição.

O homem é o personagem principal da história porque é originalmente um ser sociável e ao se sociabilizar ele cria a história. Além de ser um animal sociável o homem é livre e por isso a história da humanidade é o resultado das escolhas dos homens de cada época. Segundo as palavras de Vico ?Enquanto animal o homem pensa somente em sua sobrevivência, mas quando cria família, tem mulher e filhos, ele busca sobreviver junto com sua cidade?.

Seguindo um pensamento de Platão, Vico divide a história em três períodos: dos deuses, dos heróis e dos homens, no primeiro os homens eram ignorantes, insensatos e prevalecia a animalidade, nessa época os homens pouco ou nada usam a reflexão, estão mais ligados aos sentidos. Na época dos heróis prevalece a fantasia, a imaginação, é um período onde a força é a base da estruturação social. No período dos homens o que se destaca é a razão, nessa época os homens atingem a consciência crítica e a sabedoria.

A história é o resultado também das ações divinas mas não de forma direta, para Vico a providência divina criou ideais a serem alcançados pelos homens. Ideais como justiça, verdade e o bem são objetivos que o homem tenta alcançar e tenta fazer isso de maneira livre.

No estudo da linguagem, Vico acredita que o modo de falar popular testemunha com mais veracidade os costumes de um povo. Os sistemas de comunicação que perduram em uma determinada língua são a expressão mais fiel da vida dessas pessoas, razão pela qual não é possível entender uma sem compreender a outra.
O mundo não pode mais ser visto como um Deus, mas como uma enorme maquina que funciona com rodas, cordas, roldanas, pesos e molas. Essa máquina foi criada por uma inteligência superior e livre de defeito, que é Deus.


Grande polêmica em sua época foi a crítica que fez às religiões dizendo que elas tentam extinguir as paixões. É loucura uma pessoa tentar destruir suas paixões através da fé, tentar acabar com os desejos, com o amor e com os outros sentimentos é deixar de ser humano e se transformar em um monstro. Um ser humano equilibrado moralmente é um ser humano que tem suas paixões em harmonia e não um homem que não tem paixões.

São as grandes paixões que fazem os homens fazerem grandes coisas, grandes paixões produzem grandes homens, paixões modestas produzem homens comuns e um homem sem paixões é um homem medíocre. Reprimir as paixões pode destruir um ser humano com grandes capacidades.

Em suas crítica às religiões diz ainda que o milagre é um absurdo contra a natureza, duvida dos milagres de Cristo e diz que não acredita que um homem possa ressuscitar. Não acredita na sacralidade da Bíblia nem na infalibilidade da igreja, pois quem estabelece a divindade das escrituras é a igreja e a igreja obtêm seus fundamentos nessa mesma escritura. Para Diderot pensar que Deus não existe causa muito menos terror do que pensar que existe um Deus punitivo que quer controlar as paixões humanas.

Em seus escritos sobre estética Diderot apresenta a ideia de que a beleza é uma necessidade natural do ser humano, o belo inicialmente aparece no homem através da simetria e da ordem e a partir delas se desenvolve para outros ramos e outros aspectos. 

Essa necessidade de beleza nasce das experiências que os homens têm em sua vida e mesmo que Deus não existisse ela existiria.
A beleza é determinada pela relação que temos com os objetos e conforme relacionamos os objetos entre si, é essa relação que vai definir a beleza na música, na literatura, na moral, na natureza e na arte.
sábado, 18 de agosto de 2012 0 comentários

Orgulho do seu trabalho


Quando Abraham Lincoln foi eleito presidente dos Estados Unidos , houve um forte constrangimento das classes dominantes . Afinal, ele era filho de sapateiro e iria dirigir pessoas de famílias tradicionais.

No dia da posse, no congresso, o senador que abriu os trabalhos disse: ”Antes de o senhor começar, eu gostaria de lembrá-lo que é filho de um sapateiro”. Uma onda de risos sacudiu o plenário. No fundo todos queriam humilhá-lo, já que havia sido impossível derrotá-lo nas urnas. Mas não era fácil derrotar um homem como Lincoln. Sem se perturbar, ele respondeu:

“Obrigada por lembrar-me de meu pai neste momento. Eu procurarei ser um presidente tão bom como o sapateiro que ele foi. Eu me lembro de que meu pai sempre fez os sapatos de sua família; se os seus sapatos apresentarem algum problema , você pode trazê-los e eu os consertarei . Desde cedo aprendi a concertar sapatos e agora que meu pai está morto posso cuidar dos seus. Aliais, se algum de vocês tiver um sapato feito pelo meu pai que esteja precisando de conserto pode trazê- lo que eu cuidarei dele. Mas de uma coisa estejam certos : eu não sou tão bom quanto ele”, e seus olhos se encheram de lágrimas ao lembrar-se do pai.

Seja sempre você, aprenda com os outros tudo o que poder, porém nunca abandone a sua essência.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012 0 comentários

Sinto saudades...


Sinto saudades...


Sinto saudades de tudo que marcou a minha vida.
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros,
quando escuto uma voz, quando me lembro do passado,
eu sinto saudades...

Sinto saudades de amigos que nunca mais vi,
de pessoas com quem não mais falei ou cruzei...

Sinto saudades da minha infância,
do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro,
do penúltimo e daqueles que ainda vou ter, se Deus quiser...

Sinto saudades do presente,
que não aproveitei de todo,
lembrando do passado
e apostando no futuro...

Sinto saudades do futuro,
que se idealizado,
provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser...

Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei!
De quem disse que viria
e nem apareceu;
de quem apareceu correndo,
sem me conhecer direito,
de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer.

Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito!

Daqueles que não tiveram
como me dizer adeus;
de gente que passou na calçada contrária da minha vida
e que só enxerguei de vislumbre!

Sinto saudades de coisas que tive
e de outras que não tive
mas quis muito ter!

Sinto saudades de coisas
que nem sei se existiram.

Sinto saudades de coisas sérias,
de coisas hilariantes,
de casos, de experiências...

Sinto saudades do cachorrinho que eu tive um dia
e que me amava fielmente, como só os cães são capazes de fazer!

Sinto saudades dos livros que li e que me fizeram viajar!

Sinto saudades dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar,

Sinto saudades das coisas que vivi
e das que deixei passar,
sem curtir na totalidade.

Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que...
não sei onde...
para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi...

Vejo o mundo girando e penso que poderia estar sentindo saudades
Em japonês, em russo,
em italiano, em inglês...
mas que minha saudade,
por eu ter nascido no Brasil,
só fala português, embora, lá no fundo, possa ser poliglota.

Aliás, dizem que costuma-se usar sempre a língua pátria,
espontaneamente quando
estamos desesperados...
para contar dinheiro... fazer amor...
declarar sentimentos fortes...
seja lá em que lugar do mundo estejamos.

Eu acredito que um simples
"I miss you"
ou seja lá
como possamos traduzir saudade em outra língua,
nunca terá a mesma força e significado da nossa palavrinha.

Talvez não exprima corretamente
a imensa falta
que sentimos de coisas
ou pessoas queridas.

E é por isso que eu tenho mais saudades...
Porque encontrei uma palavra
para usar todas as vezes
em que sinto este aperto no peito,
meio nostálgico, meio gostoso,
mas que funciona melhor
do que um sinal vital
quando se quer falar de vida
e de sentimentos.

Ela é a prova inequívoca
de que somos sensíveis!
De que amamos muito o que tivemos
e lamentamos as coisas boas
que perdemos ao longo da nossa existência...

(Clarice Lispector)
quinta-feira, 16 de agosto de 2012 0 comentários

34 Coisas que as Mulheres Adorariam que os Homens Soubessem


1. Presentes fora de hora significam mais amor e mais boque***. Inclusive os mais simples.

2. “Legal” não é a resposta que queremos ouvir quando perguntamos se estamos bonitas.

3. Nós gostamos de ser surpreendidas com beijos, sem que isso signifique ir para cama depois de dois minutos.

4. Nós sempre esperamos uma ligação e sentimos falta quando você não dá sinal de vida durante o dia.

5. Um bom sexo oral pode ser a diferença na classificação entre um “ótimo sexo” e um “sexo meia-boca.”

6. Nós ficamos desapontadas quando nos arrumamos toda pra sair e descobrimos que você vai com a camisa de ontem e de chinelo.

7. Deixe para correr e tirar finas dos carros quando estiver sozinho. Nós dispensamos esse tipo de emoção.

8. Não ache que arrasa com sua performance “britadeira” no sexo. É preciso muito mais para nos dar prazer.

9. Nós ficamos desequilibradas antes e durante a menstruação, mesmo sem motivo algum. Aprenda a conviver com isso.

10. Nós iremos questionar a sua masculinidade quando percebemos que você prefere assistir ao jogo ou jogar vídeo game do que transar.

11. Você não precisa pagar a conta no primeiro encontro, mas saiba que vamos te achar mão de vaca.

12. Consulte uma amiga ou um amigo gay quando for comprar um presente.

13. Por mais desencanadas que sejamos, nós não queremos sentir o cheiro do seu pum ou o barulho do seu arroto. Principalmente dentro do carro.

14. Você fica sexy se barbeando, consertando alguma coisa, usando camiseta branca com jeans ou dirigindo.



15. Queremos ouvir o que vocês sentem. Se esforce e fale mais.

16. Nós gostamos de discutir sobre sexo. Respostas como “foi gostoso” não bastam.

17. Se não nos sentimos amadas e valorizadas, nosso botão de “caça” é ativado automaticamente. Só leva um minuto.

18. Unhas compridas machucam – mantenha-as curtas.

19. Nós gostamos de mandar SMS e emails durante o dia – por favor, responda-os.

20. Nós consideramos traição qualquer coisa que você faça/pense/fale com outra que não gostaria que soubéssemos.

21. Barba começando a crescer irrita a nossa pele. Tire tudo ou deixe um pouco maior.

22. Você não precisa engordar, parar de usar perfume ou não fazer mais a barba depois que começamos a namorar. A concorrência é forte.

23. Se você fica com preguiça de fazer carinho, nós ficamos proporcionalmente com preguiça de fazer boque**.

24. Entre bombons, flores e ursinhos de pelúcia, nos dê um sapato.

25. Não explique uma traição dizendo que “não teve importância”. É horrível ser traída por algo “sem importância”.

26. Para nós não importa tanto o tamanho do seu p**, desde que ele seja maior que um OB. A performance conta muito mais.

27. Nós quase sempre sabemos quando estão mentindo – aprenda que temos um sexto sentido mais desenvolvido do que o de vocês.

28. Nós precisamos de preliminares e não vamos ficar suficientemente molhadas se você não caprichar nessa parte. Quanto mais, melhor.

29. Nós gostamos de sexo selvagem - mas queremos dormir de conchinha e ganhando cafuné na cabeça depois.



30. Nós temos o maior prazer em fazer um boquete – desde que seu pau esteja cheirosinho e que você nos recompense depois.

31. Mulheres pegam infecções urinárias com muita facilidade. Esteja sempre com o pau e os dedos limpos.

32. Nós adoramos ser elogiadas. Vale qualquer coisa: da cor do esmalte ao roteiro que escolhemos para as férias.

33. Não peça para escolhermos onde vamos no primeiro encontro. Nós gostamos de ser levadas pra sair.

34. Sim, nós temos senso de direção ruim e odiamos mapas e vagas apertadas. Se ofereça para estacionar invés de ficar botando defeito.

0 comentários

Homero Silva - Biografia

(Apresentador, locutor, vereador)

30 de janeiro de1918 - 19 de setembo de 1981


A vida de um rapaz de origem humilde, pai falecido, cuja mãe fabricava sabão caseiro para que ele vendesse de porta em porta. Dessa forma garantindo o sustento da família.

Se formou em direito por uma das pricipais universidades do país e tornou-se o primeiro apresentador de TV do país e América Latina.


Homero Silva nasceu em São Paulo, capital, mais propriamente no bairro do Cambuci, no dia 30 de janeiro de 1918. Descendente de italianos, seu pai era Eloi Domingues da Silva e a mãe dona Candida. Aos 18 anos Homero Silva perdeu o pai, e ele e mais um irmão menor, ficaram aos cuidados de Candida. O pai, fotógrafo, era pobre.

E assim, Homero e o irmão Gilberto, acostumaram-se a dividir tudo, até um par de sapatos, pois a mãe comprava um número intermediário, que pudesse servir aos dois, na hora de irem à escola. E eles iam em turnos diferentes. Assim mesmo ambos conseguiram entrar na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, respectivamente em primeiro e segundo lugares. E isso aconteceu durante o curso todo. Ora um era o primeiro, ora outro.

Rapazes sérios, religiosos, extremamente inteligentes, eram admirados por todos. Gilberto, o mais novo, prosseguiu a carreira jurídica, mas Homero fez um concurso de locutor na Rádio Tupi de São Paulo, e passou, pois era dono de uma voz bonita e marcante. E aí começou a carreira que, se não única, foi a mais importante de sua vida. Logo chegou a diretor da emissora. É preciso lembrar que seu grande sucesso deu-se à apresentação do programa infantil "Clube do Papai Noel", onde ele era tão querido que as crianças o chamavam de "Papai Noel".

Nesse programa iniciaram a carreira artística: Hebe Camargo, Erlon Chaves, Wilma Bentivegna, Wanderley Cardoso, Vida Alves, e muitos outros. Foi um acontecimento esse programa que começou na rádio e, mais tarde, transferiu-se para a televisão.

Homero Silva, aliás, foi escolhido para ser o primeiro locutor, aquele que apresentou a PRF3-TV Tupi, aos telespectadores, no lançamento da primeira emissora de televisão da América Latina.

Homero Silva, alguns anos antes havia se casado com Yolanda, Filha de Maria, e ele era Congregado Mariano. Desse casamento nasceram dois filhos: Célia e Homerinho (Homero Silva Filho). Na televisão Homero era super admirado pela perfeição de suas apresentações, por sua cultura, por sua verve. Apresentava também outros programas: "Ponta de Lança", "Boa Noite Amigos", e o famoso "Clube dos Artistas", que foi uma criação de Airton Rodrigues, mas teve Homero Silva como apresentador por muitos anos. Homero Silva, porém, não se satisfez somente com a vida artística, embora tivesse total sucesso. Foi para a política. Foi vereador da cidade de São Paulo, por duas vezes. Foi deputado, também por dois mandatos. E foi candidato à Prefeito, perdendo apenas por 50 votos, o que até suscitou muita polêmica, mas Homero, homem sério, quis deixar de lado e prosseguiu sua vida.

Quando deixou a TV Tupi, Homero Silva foi ser Presidente da Fundação Padre Anchieta e, posteriormente, diretor artístico da Rádio Cultura. Homero Silva, ainda desejoso de eternamente lutar, entrou para as lides universitárias e foi professor de Direito Constitucional na F.M.U. e nas Faculdades de Bragança Paulista. Isso o fez rejuvenescer, pois adorava estar com os jovens, assim como tinha adorado trabalhar com crianças. Uma das coisas que criou, com muito êxito foi a "Campanha do Natal da Criança Pobre", que aconteceu por vários anos consecutivos e que revolucionou todo o bairro do Sumaré, que era chamado de "A cidade do rádio", pois era a sede das Rádios Tupi Difusora e da Televisão Tupi. Assim foi Homero Silva, que faleceu em 19 de setembro de 1981.

Ele havia se casado pela segunda vez com Mariinha, e com ela teve a filha Silvana, que é médica. E ele estava com Mariinha quando faleceu. Ao seu enterro compareceram centenas de amigos, entre artistas, advogados, professores, políticos e fãs. Sempre admirado, sempre querido. "Perda muito sentida", disseram todos. Perda, não só de um luminar do rádio e da televisão, mas de um homem sério, respeitado, honesto e que sempre soube ajudar seus colegas. "Meu verdadeiro guru", diz Vida Alves, que sempre o considerou um grande amigo.

 
;